terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Estrela 17 - Warscewiczia coccinea (Vahl) Klotzsch

Foto detalhe de Harri Lorenzi

Originaria da Amazonia, América Central e Caribe, a estrela desta vez é também planta nacional de Trinidad-Tobago. Seu nome científico, de tão complicado, encontra-se por aí escrito de várias formas, mas acreditamos que a correta é esta do título.

Pertence à família Rubiaceae, a mesma do café, da Mussaenda e da Ixora.

Os adjetivos associados a esta planta vão de lindíssima a tiradora-de-fôlego (breathtaking), passando por espantosa (awesome). O nome popular é rabo-de-arara e, em inglês, também é chamada “wild poinsettia” (como poinsettia é o nosso bico-de-papagaio e wild é selvagem, fica meio estranho traduzir por bico-de-papagaio-selvagem, e bico-selvagem-de-papagaio não ajuda em nada).

É planta espetacular, dotada de alto poder de deixar visitantes boquiabertos. No entanto, paradoxalmente, está ainda muito pouco utilizada em paisagismo. Talvez isto se deva à dificuldade de multiplicação desta espécie. Aqui no Sítio foram feitos muitos alporques, várias vezes, e só um vingou. Foi plantado perto da planta matriz, logo na entrada, no Largo da Guarita. É claro que vamos continuar insistindo.

Apesar da vermelhidão toda, as flores são amarelas, tal qual na Mussaenda. O recurso para atrair polinizadores é o de simular uma grande flor com várias pequenas, criando conjuntos entupidos de brácteas rubras que fazem a propaganda para os insetos e a alegria dos adoradores de jardins.




Nenhum comentário: