quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Estrela 07 - Heliconia vellerigera

Heliconia vellerigera Poepp.

Num belo dia de 1998, um jardineiro me chamou: acontecia uma coisa espantosa num dos sombrais da coleção. Estava florescendo, e pela primeira vez no Sítio, uma determinada helicônia.

Não era isso o motivo do alarme, mas o que vinha à luz: algo híbrido, entre lagosta, pela forma e pela cor, e macaco, por ser pendular e... peluda!

Ninguém no Sítio tinha visto nada parecido (em termos vegetais, pelo menos). Roberto, se a conhecia, nunca nos preveniu.

Hoje, pesquisando pelos aplicativos de busca da Internet – Google, MSN e Copernic –recebi sempre a mesma resposta: “Sua busca não obteve resultados”.

Foi identificada por ninguém menos que o professor Luiz Emygdio de Mello Filho, nosso insubstituível Conselheiro, e confirmada pelo colecionador José Abalo que teve a coleção de helicônias maior do mundo. Ele disse que esta talvez fosse do Panamá, porque em qualquer corte transversal que se faça naquele país, encontram-se coisas surpreendentes do reino da botânica.

Harri Lorenzi, no livro As Plantas Tropicais de R. Burle Marx, atribui sua procedência às florestas úmidas de Colômbia, Peru e Equador.

Enfim, está ela, em todo seu bizarríssimo esplendor.

Um comentário:

ERINALDO disse...

Vcs posssuem mudas desta planta Heliconia vellerigera para vender.se tiver por favor responda-me acessando ao meu emai. erinaldodejesus@gmail.com